Prevenção da dengue

Com a chegada do verão e com o aumento do número de casos de dengue, é preciso tomar alguns cuidados para minimizar o risco de contágio desta doença em crianças.

Em casa, o uso de telas nas janelas e mosquiteiros diminui a chance de entrada de mosquitos no domicílio ou do acesso destes ao berço ou cama das crianças. Eventualmente, o uso de permetrina nas telas pode aumentar a eficácia, mas deve-se ter cuidado com crianças alérgicas ou portadoras de doenças respiratórias.

Não se deve pulverizar inseticidas no domicílio quando as crianças estiverem em casa e inseticidas elétricos, “de tomada”, não devem ser mantidos ligados em cômodos na presença de crianças. Deve-se ter cuidado especial com crianças asmáticas, alérgicas ou portadores de doenças respiratórias crônicas, para os quais o uso de inseticidas em spray ou elétricos pode ser danoso mesmo por curtos períodos.

O uso de roupas claras pode ser menos atrativo a insetos que o uso de vestimentas com cores vivas.

Quanto aos repelentes, aqueles contendo DEET (dietil-toluamida) são liberados para uso nos Estados Unidos a partir de dois meses de idade. No Brasil, a partir de 2 anos. Já os contendo icaridina, são liberados no Brasil a partir dos dois anos de idade e nos EUA a partir dos seis meses.

Repelentes devem ser passados homogeneamente na pele, evitando área de olhos e mucosas, repetir a passagem conforme o tempo de exposição aos insetos e as orientações do fabricante e não passa-los em áreas que ficam sob as roupas.

As medidas mais importantes, entretanto, são relativas à eliminação dos criadouros do mosquito transmissor da dengue. Nunca manter recipientes, vasos, pratos de plantas ou outros quaisquer com água limpa e parada.